Tendências do agronegócio para 2022: saiba quais são as inovações no setor

9 minutos para ler

Tendências no agronegócio

Mesmo em meio a um cenário econômico delicado, causado especialmente pela pandemia do Covid-19, o setor agrícola nacional deu grandes passos nos últimos dois anos, movimentando nada menos do que 27% do PIB do Brasil.

Acompanhar as tendências do agronegócio para 2022 é essencial para qualquer empresa que pretenda se manter relevante e competitiva em um mercado que está alinhado à transformação digital e, por isso, constantemente em ascensão.

Veja a seguir quais são as principais tendências de inovações para o agronegócio brasileiro em 2022!

Qual a importância de se manter atualizado sobre o setor do agronegócio?

O agronegócio é um dos “carro-chefes” da economia do Brasil e esse título se deve aos grandes investimentos que têm sido feitos neste mercado. Apenas em 2020, o agronegócio representou 27% do PIB nacional. Foram mais de R$ 1.98 trilhões movimentados entre os setores agrícola e pecuário. Os dados sobre o panorama do Agro foram levantados pela própria CNA.

Isso significa que, qualquer organização que esteja relacionada ao segmento, deve se manter atualizada acompanhando todas as tendências no agronegócio, seja em termos de tecnologia, como a aplicação de IoT, de novos modelos de negócios, como as Ag Techs, ou de soluções inovadoras, como os galpões flexíveis para armazenamento no setor agrícola.

7 tendências do agronegócio para você acompanhar em 2022

Sustentabilidade

Nos últimos 50 anos, a indústria agrícola passou por todo o tipo de transformação, o que fomentou a adoção de equipamentos e máquinas voltadas para a eficiência do cultivo. Outro ponto que evoluiu significativamente neste sentido foram as tecnologias de manipulação de sementes, uso de fertilizantes e sistemas de irrigação.

Contudo, uma das maiores tendências no agronegócio para as próximas décadas é justamente ter mais controle sobre o tipo de inovação que será aplicada no agronegócio, visando equilibrar a complexa balança entre produtividade, lucratividade e redução de danos ambientais. Em outras palavras, sustentabilidade.

O agribusiness nacional já tem tido uma jornada repleta de vitórias justamente devido ao fato de aliar ciência e tecnologia para superar desafios que se estendem muito além das porteiras das fazendas. A mistura de digitalização, conectividade e genética juntamente a iniciativas sustentáveis, como tem exigido o consumidor da era da transformação digital.

Um dos caminhos pelos quais o agro brasileiro deve trilhar, nos próximos anos, é a recuperação de áreas degradadas e a substituição de ferramentas poluentes — como chaminés — por sistemas avançados de tratamento de efluentes e resíduos. Isso se deve ao fato de que a tendência é que atividades que impactam na atmosfera e no meio ambiente não se sustentem mais no mercado a longo prazo.

Em outras palavras, espera-se que, em um breve futuro, as indústrias do agronegócio invistam cada vez mais em tecnologia para reduzir impactos ambientais ao planeta. Por exemplo, a escolha de galpões de lona cuja infraestrutura é sustentável, em vez de galpões em alvenaria, visto que essa alternativa:

  • diminuiu custos;
  • elimina procedimentos danosos ao meio ambiente;
  • evita desperdícios de materiais e insumos;
  • e otimiza a lucratividade do negócio.

Aumento no consumo de alimentos à base de plantas

O conceito de “plant-based” ou, como conhecemos em português, alimentação à base de plantas, é uma tendência promissora para o agronegócio em 2022. Isso se deve ao fato de que as dietas vegetarianas e veganas ganharam muito espaço nos últimos anos, já que a conscientização e a redução de danos ambientais são algumas das mudanças no comportamento do consumidor 4.0.

Resumidamente, há uma fatia maior do mercado que busca reduzir o consumo de alimentos de origem animal e incluir cada vez mais vegetais no cardápio. Na prática, o agronegócio tem focado em produtos e soluções inovadoras para atender a essa demanda de consumidores conscientes.

Evolução da tecnologia

A transformação digital é, sem dúvida, uma das principais tendências no agronegócio não apenas para 2022, mas para tudo o que podemos projetar em relação ao futuro do segmento. 

Quando o assunto é agricultura, o Brasil é um dos países que mais se destaca no mundo em termos de produtividade, qualidade e quantidade. Não é por coincidência que tem capacidade de atender a demandas mundiais de alimento.

Para sustentar essa realidade, a evolução da tecnologia tem se mostrado presente no agro. A união de tecnologias como Internet das Coisas (IoT), Big Data e Inteligência Artificial têm presenteado o setor com o que conhecemos como Máquinas Inteligentes, isto é, maquinários e equipamentos cada vez mais conectados e automatizados, permitindo que os gestores controlem produções inteiras a partir de computadores ou smartphones. E, como forma de impulsionar ainda mais esta evolução tecnológica, os galpões flexíveis têm se mostrado soluções inteligentes de armazenagem para o agronegócio.

Galpão de lona RL360 – Sacaria de safra de café em big-bag

Utilização de sensores

Já não é de hoje que o agronegócio tem se beneficiado do uso de dispositivos capazes de detectar, analisar e registrar dados relativos à plantação, ao clima, ao solo e ao desempenho do maquinário, que podem ser facilmente interpretados por computadores ou pessoas.

Existem diversos modelos de sensores que têm sido usados no campo, como os térmicos, que analisam a umidade e condições climáticas, e os pluviômetros, que mensuram o volume das chuvas.

Agricultura vertical

É uma técnica de cultivo que, como consta no próprio termo, consiste em verticalizar o plantio por meio de controle ambiental  — monitoramento de temperatura, luz artificial, gases, umidade, fertirrigação etc), o que gera benefícios no aproveitamento de espaço do campo em comparação com o formato horizontal habitualmente conhecido nas fazendas.

Essa alternativa tem se tornado uma tendência especialmente nos grandes centros, isto é, regiões que não dispõem de grandes áreas suficientes para o plantio ou, até mesmo, para cidades que necessitam de grandes produções para suprir a população.

Softwares de gestão

Que os sistemas de gestão tomaram conta dos mais diversos segmentos do mercado não é nenhuma novidade, mas a evolução desses softwares que têm atendido necessidades cada vez mais específicas é uma das grandes tendências no agronegócio para 2022.

Entre os recursos que as soluções digitais têm proporcionado ao setor agro, permitindo que gestores usufruam de muito mais produtividade no campo, podemos citar:

  • programas para gerenciamento de maquinários para plantio, pulverização e colheita;
  • sistemas para previsibilidade climática com imagens de satélites meteorológicos;
  • aplicativos de mapeamento de área, que medem o perímetro da fazendo e realizam diversos cálculos por meio de imagens de satélites ou GPS;
  • aplicativos para gerenciamento das atividades do produtor e da fazenda;
  • sistemas com banco de dados de doenças e pragas para auxiliar o produtor na detecção e solucionar problemas existentes na plantação;
  • programas para acompanhamento das oscilações de preços do mercado;
  • sistemas que definem a pulverização adequada a partir de dados como taxa de precisão, espaçamento e velocidade da aplicação desejada;
  • programas que monitoram a ocorrência de doenças, com dados sobre datas e locais dos maiores episódios por safra.

Ag Techs

Resumidamente, Ag Techs são espécies de startups cujo foco é promover inovação no segmento do agronegócio. O fator mais característico dessas empresas é a aplicação de novas tecnologias no campo, como Inteligência Artificial e Big Data.

Essa demanda tem se popularizado devido à preocupação das organizações modernas em produzir gerando cada vez menos impactos ambientais, fator que também tem impulsionado investimentos no setor.

Novas formas de armazenamento de insumos

Para finalizarmos, uma das fortes tendências no agronegócio para 2022 é a evolução nas formas de armazenamento de insumos do setor. A grande inovação são os galpões flexíveis, isto é, estruturas mais versáteis para armazenar todo o tipo de material, como

  • grãos secos — arroz, trigo, soja, milho etc;
  • insumos agrícolas — adubos, fertilizantes, pesticidas etc;
  • equipamentos mecânicos — tratores, pulverizadores, arados, semeadeiras, maquinários de irrigação;
  • ferramentas usadas no cultivo — carrinho de mão, enxada, mangueira de colher muda, tesoura de poda;
  • e muito mais.

Por serem tão resistentes quanto galpões em alvenaria, os galpões de lona podem proporcionar o mesmo nível de proteção aos equipamentos, insumos e produtos contra agentes climáticos como chuva, calor, vento ou até mesmo raios.

O galpão de lona RL360, da Reconlog, é um dos pioneiros neste tipo de solução em armazenamento. Em suma, trata-se de um galpão que pode ser montado e desmontado rapidamente, com altíssima resistência para projetos de quaisquer dimensões que a demanda exigir.

Sua estrutura, versatilidade e personalização se aliam à sua resistência e segurança, o que garante as melhores condições de armazenagem, principalmente para o setor agrícola. Sem dúvida, é uma das tendências no agronegócio que deve se destacar no mercado em 2022.

Galpão de lona RL360 – armazenagem de fertilizantes

Quer saber mais sobre como a Reconlog pode ajudar seu negócio a se manter inovador e competitivo em meio um mercado altamente acirrado? Então entre em contato com a nossa equipe de especialistas para conhecer as melhores soluções em armazenamento logístico!

Posts relacionados
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments